15.9 C
Contagem
domingo, junho 16, 2024
HomeColunasEditorialHora da verdade

Hora da verdade

Date:

Matérias Relacionadas

Anny Kalessa para o Gata Dmais – Por João Paulo Dias

Meu nome é Anny Kalessa (@annykalessa), tenho 22 anos,...

Edição 1233 14 de Junho de 2024

Edição Online da Edição 1232 do Jornal de Contagem Pop Notícias

Marcha para Jesus acontece neste sábado

Para fortalecer os laços de união, amor e de...

Não caia no golpe da falsa cobrança

Alerta importante A Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria...

Mais duas trincheiras na br 381

Mais mobilidade Contagem recebeu mais uma importante notícia que vai...
Ir para Criarteweb

Chegou o momento. No próximo dia 7 de outubro os brasileiros vão às urnas para definir quem ocupará a Presidência da República pelos próximos quatro anos, quem será o vice, qual será o senador escolhido, quem será eleito o governador do Estado e quem serão os deputados federais e estaduais. Mas caso a eleição para os cargos de presidente e senador, não se defina no dia 7, voltamos às urnas para o segundo turno, marcado para dia 28 de outubro

Estamos iniciamos mais uma campanha eleitoral, sem a prometida e esperada renovação. Nada de novo! Nada além dos velhos personagens, com seus ultrapassados esquemas e artimanhas. E a vida vai sendo violada, desrespeitada e massacrada, no exercício da política.

Como sempre acontece, candidatos vão invadir Contagem em busca de votos, apenas votos, de preferência sem qualquer responsabilidade. Aqui, neste espaço do Jornal Contagem, o cidadão se beneficiou de alertas constantes sobre os chamados candidatos paraquedistas, que pousam em terras contagenses apenas nesta época, de olho na vitória nas urnas, esquecendo do município e sua gente no mesmo instante em que os votos são lidos e computados.

É chegada a hora da verdade. Hora de agir com cidadania. O exercício da cidadania, mediante o voto, deve sempre acontecer de forma consciente. Os recentes episódios de corrupção eleitoral nos planos federal, estadual e municipal reforçam esta convicção. A omissão das pessoas conscientes e corretas nas disputas eleitorais faz com que políticos inescrupulosos sejam eleitos e coloquem seus interesses particulares, e de grupos, acima dos interesses coletivos.

O brasileiro está menos paciente, não está mais disposto a fugir da luta e muito menos continuar deitados em berço que teima em ser esplêndido, apesar do tratamento que lhe é dedicado.
O que se espera no dia 7 de outubro é que o eleitor valorize quem deve ser valorizado e possa escolher motivado por razões éticas, solidárias e não por interesses mesquinhos a partir de análises simplistas, por resultado de negociatas, de trocas inaceitáveis realizadas sob argumentação impublicável.

Ao cidadão, ao eleitor, exige-se que seja honesto; o mais honesto possível na hora da eleição, na hora da verdade.

Últimas Matérias

spot_img
Iniciar Conversa
Precisa de Ajuda?
JORNAL DE CONTAGEM
Olá
Podemos Ajudar