22.3 C
Contagem
segunda-feira, maio 27, 2024
HomeCadernosPolíticaTeletrabalho no governo de Minas

Teletrabalho no governo de Minas

Date:

Matérias Relacionadas

Edição 1232 24 de Maio de 2024

Edição Online da Edição 1232 do Jornal de Contagem Pop Notícias

Obras na Avenida Maracanã

Uma obra estruturante As milhares de pessoas que passam todos...

Mais acessibilidade e inclusãox’

Facilidade de locomoção A Prefeitura investe para garantir a inclusão...

Aymoré e Arcor presenteiam a cidade

Comemorações O ano de 2024 é marcado por duas importantes...

Oncoclínicas inaugura unidade em Contagem

Considerado um dos maiores grupos de oncologia da América...
Ir para Criarteweb

Recuperação estrutural

Os cerca de 8 mil servidores que trabalham na Cidade Administrativa, sede do Governo de Minas Gerais, em Belo Horizonte, tiveram os trabalhos presenciais suspensos na sexta-feira (10) após uma perícia indicar problemas graves nos elevadores dos dois principais prédios, o Minas e o Gerais.
Todos os 54 elevadores dos dois prédios apresentam algum tipo de falha e, por isso, a situação não deve ser totalmente normalizada antes do fim de 2024, segundo o governo.
O impasse com relação aos elevadores da Cidade Administrativa começou em novembro do ano passado, quando as primeiras falhas técnicas foram detectadas no Prédio Minas. Em março, um laudo mostrou a necessidade de obras de reforço e recuperação estrutural.
A situação dos elevadores do Prédio Tiradentes, de onde despacham o governador e o vice-governador, está normalizada.

Teletrabalho
Uma medida em relação ao trabalho remoto foi editada ainda nesta sexta (10) pelo governo.
A ideia é transferir os trabalhos que precisam ser presenciais – como os de atendimento ao público – para os primeiros andares dos prédios e manter os demais servidores em casa.
• Os problemas nos elevadores serão resolvidos gradualmente, priorizando aqueles equipamentos que atendem todos os 14 andares dos dois prédios.
• Depois deles, serão reparados aqueles que atendem somente os pavimentos superiores para, por fim, consertar os que circulam apenas nos inferiores.
A perícia realizada nas últimas semanas e concluída na quinta-feira (9) foi feita por órgãos do próprio governo e motivada após a empresa que venceu a licitação para consertar os elevadores desistir do contrato. Na ocasião, foram alegadas “dificuldades internas em cumprir as obrigações estipuladas”.

As falhas
Segundo o estado, os problemas constatados nos equipamentos têm relação com falhas na construção do complexo, sede do governo de Minas Gerais, inaugurado em março de 2010. O valor necessário para os reparos é estimado em R$ 20 milhões.
O Executivo disse que vai instaurar um Processo Administrativo Punitivo (PAP) para apurar irregularidades nas obras, que já foram alvo de investigações e de acordos de leniência.

Últimas Matérias

spot_img

DEIXE SUA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Iniciar Conversa
Precisa de Ajuda?
JORNAL DE CONTAGEM
Olá
Podemos Ajudar