20.9 C
Contagem
segunda-feira, maio 27, 2024
HomeColunasArtigoSegurança das urnas eletrônicas

Segurança das urnas eletrônicas

Date:

Matérias Relacionadas

Edição 1232 24 de Maio de 2024

Edição Online da Edição 1232 do Jornal de Contagem Pop Notícias

Obras na Avenida Maracanã

Uma obra estruturante As milhares de pessoas que passam todos...

Mais acessibilidade e inclusãox’

Facilidade de locomoção A Prefeitura investe para garantir a inclusão...

Aymoré e Arcor presenteiam a cidade

Comemorações O ano de 2024 é marcado por duas importantes...

Oncoclínicas inaugura unidade em Contagem

Considerado um dos maiores grupos de oncologia da América...
Ir para Criarteweb

A criação das urnas eletrônicas significou um passo importante para o sistema eleitoral brasileiro, colocando fim à votação em papel e contagem manual de cédulas. Elas utilizam o que há de mais moderno quanto às tecnologias de criptografia, assinatura digital e resumo digital. Além disso, funcionam de forma completamente isolada, não havendo a possibilidade de serem conectadas qualquer tipo de rede.
Apesar de o sistema eleitoral possuir uma tecnologia blindada a qualquer tipo de ataque, é comum que haja desconfiança dos eleitores sobre a segurança das urnas, já que são cada vez mais avançados os recursos utilizados por hackers para ataques cibernéticos em geral. Até mesmo candidatos e partidos políticos já levantaram dúvidas, por diversas vezes, sobre a possibilidade de fraudes nas urnas.
Por este motivo, é fundamental que haja ferramentas para garantir a transparência do processo e, principalmente, para diluir eventuais questionamentos infundados sobre possíveis violações das urnas eletrônicas. Neste sentido, o Teste Público de Segurança (TPS), iniciado no dia (27/11), é uma importante iniciativa do Tribunal Superior Eleitoral para sinalizar à população que o sistema é confiável.
Mais de 30 especialistas em tecnologia estão trabalhando no edifício-sede do TSE, em Brasília (DF), para testar os equipamentos usados para coletar os votos do eleitorado. Os testes são destinados a qualquer cidadão brasileiro, maior de 18 anos, que queira investigar e contribuir para o aprimoramento do processo eleitoral. Para participar, os interessados fizeram inscrições previamente e agora possuem liberdade para fazer tentativas de violação do sistema.
Segundo informações do TSE, serão submetidas à ação dos investigadores as urnas eletrônicas modelos 2022 e 2020, com os respectivos firmwares e mídias eletrônicas, assim como o Gerenciador de Dados, Aplicativos e Interface com a Urna Eletrônica (Gedai-UE), Software de Carga, Software de Votação, Sistema de Apuração, Kit JE-Connect, entre outros sistemas. Ou seja, estamos diante de um processo transparente, que demonstra grande vontade da Justiça Eleitoral de dialogar com a sociedade e comprovar a inviolabilidade das urnas.
O teste público aumenta, entre os eleitores de todo país, a sensação de que o voto é seguro e, especialmente, de que os resultados das eleições são verdadeiros. Além disso, a ação do TSE é de fundamental importância para o combate às fake news e à desinformação, fortalecendo a democracia brasileira na medida em que anula as possíveis desconfianças sobre o resultado final das apurações.
É importante que as investigações sejam mantidas de forma constante, inclusive com a participação da população, para que possamos manter a confiança no sistema. Que em 2024 tenhamos eleições pacíficas e seguras, nos mais diversos aspectos, em todos os municípios do Brasil.

Por Wilson Pedroso – Analista político e consultor eleitoral, com MBA nas áreas de Gestão e Marketing – @wilsinhopedroso

Últimas Matérias

spot_img
Iniciar Conversa
Precisa de Ajuda?
JORNAL DE CONTAGEM
Olá
Podemos Ajudar