24.9 C
Contagem
quinta-feira, maio 30, 2024
HomeCadernosSaúdeEvitar focos do mosquito transmissor da dengue

Evitar focos do mosquito transmissor da dengue

Date:

Matérias Relacionadas

3ª edição do Arraiá de Contagem

Tradição Pula a fogueira que a festa vai começar! Entre...

Licenciamento ambiental

Conquista preservada Nos últimos três anos, a Prefeitura de Contagem...

Contagem firma parceria com Unifenas

Vagas de estágio O Serviço Social Autônomo de Contagem (SSA)...

Câmara Aberta recebe Funec em júri simulado

Um plenário transformado em tribunal e alunos em promotores,...

Deputado Miguel Ângelo assumiu a vice-liderança do PT na Câmara Federal

O deputado federal Miguel Ângelo (PT/MG), assumiu a importante...
Ir para Criarteweb

Contagem mantém o alerta para a prevenção contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Desde o início do ano, houve aumento exponencial no número de casos registrados de dengue no país. No município, até o dia 4 de abril, foram notificados 3746 casos da doença.
A dengue é uma doença viral sistêmica, que possui quatro sorotipos diferentes: DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4, variando desde casos assintomáticos a quadros graves, até óbito. A sua duração é em média sete dias. Dentre os sintomas mais comuns estão febre; dor de cabeça atrás dos olhos; nas articulações, menos intensa que na chikungunya; dor muscular, mais intensa que na chikungunya; náuseas e vômito.
O superintendente de Vigilância em Saúde, José Renato de Rezende Costa, ressaltou que a população deve buscar atendimento médico sempre que apresentar algum sinal de alerta, evitando a automedicação para não gerar complicações no quadro. “Nos primeirosintomas as pessoas devem procurar as unidades de saúde para o diagnóstico. Porque a gente não consegue, somente pelos sintomas, fazer esse diagnóstico diferencial. Então, é importante que o médico faça avaliação do paciente para o melhor tratamento”, frisou.

Prevenção – Ainda de acordo com José Renato, a colaboração de todos no controle das arboviroses, evitando a proliferação do mosquito é fundamental. “É importantíssimo que a população retire todos reservatórios propícios para proliferação do mosquito, que lavem as vasilhas de água espalhadas pelos quintais, que as pessoas possam, desde que indicadas pelo médico, utilizar o repelente, que façam o telamento das janelas nas áreas mais críticas, onde temos uma população maior de mosquitos”, destacou.
Por fim, Janeide Souza, relatou que, após a experiência, sempre busca manter os cuidados em dia, além de alertar as outras pessoas sobre a prevenção. “Hoje em dia não fico sem repelente, estou atenta em casa com os utensílios que podem hospedar focos do mosquito, e, é claro, chamo a atenção daqueles que não cuidam direito dos seus quintais”.

Últimas Matérias

spot_img
Iniciar Conversa
Precisa de Ajuda?
JORNAL DE CONTAGEM
Olá
Podemos Ajudar