19.3 C
Contagem
domingo, maio 26, 2024
HomeCadernosCidadeDivulgado levantamento sobre os impactos no comércio

Divulgado levantamento sobre os impactos no comércio

Date:

Matérias Relacionadas

Edição 1232 24 de Maio de 2024

Edição Online da Edição 1232 do Jornal de Contagem Pop Notícias

Obras na Avenida Maracanã

Uma obra estruturante As milhares de pessoas que passam todos...

Mais acessibilidade e inclusãox’

Facilidade de locomoção A Prefeitura investe para garantir a inclusão...

Aymoré e Arcor presenteiam a cidade

Comemorações O ano de 2024 é marcado por duas importantes...

Oncoclínicas inaugura unidade em Contagem

Considerado um dos maiores grupos de oncologia da América...
Ir para Criarteweb

Com o crescente número de casos comprovados do novo coronavírus, diversas medidas foram adotadas pela população, empresas e pelos governos municipais, estaduais e federal. No Brasil, até 1° de abril, já foram contabilizados mais de 5.800 casos confirmados e 203 mortos pela doença. Além das perdas humanas, os impactos na economia serão devastadores. Um levantamento da Fecomércio MG mostrou que cerca de 79% dos entrevistados estão sofrendo algum tipo de impacto negativo em seu negócio devido ao avanço da Covid-19.
A pesquisa de opinião também demonstrou que 60,5% dos empresários de Minas Gerais afirmaram ter paralisado suas atividades, sendo que a maioria as manterá suspensas por tempo indeterminado. Por outro lado, cerca de 20% não paralisaram suas atividades, dada a essencialidade do bem vendido e/ou serviço prestado ou a adoção do regime home office (na legislação, teletrabalho).
Entre os setores mais impactados, segundo o levantamento, estão serviços (89,5%), comércio varejista (85,3%), indústria (84,8%), comércio atacadista (80,4%) e agricultura (65,6%). Não à toa, a Confederação Nacional do Comércio (CNC) estima que somente o varejo mineiro perderá R$ 4,45 bilhões entre 23 de março a 10 de abril, uma queda de quase 28% no faturamento para o período.
O economista-chefe da Fecomércio MG, Guilherme Almeida, avalia que os dados refletem perdas em todos os setores, pois eles compõem uma cadeia de atividades básicas para a população. “Sabemos da importância da adoção de medidas para mitigar o avanço do coronavírus, seguidas conforme recomendações dos órgãos de saúde. Mas, como a atividade produtiva funciona em cadeia, quando um setor desaquece, vários outros sentem os impactos dessa ociosidade”, ressalta.
Os resultados acendem o sinal de alerta sobre a adoção de ações que contribuam para minimizar esses impactos, principalmente para as micros e pequenas empresas. “Até o momento, 54% dos entrevistados afirmaram que as perdas em vendas, prestação de serviços e produção já estão acima dos 50%. Além disso, 45% afirmaram que os preços praticados por seus fornecedores aumentaram ou irão aumentar em decorrência da quarentena”, explica o economista-chefe.

Últimas Matérias

spot_img
Iniciar Conversa
Precisa de Ajuda?
JORNAL DE CONTAGEM
Olá
Podemos Ajudar