26.4 C
Contagem
terça-feira, maio 28, 2024
HomeColunasEditorialMobilidade urbana

Mobilidade urbana

Date:

Matérias Relacionadas

Edição 1232 24 de Maio de 2024

Edição Online da Edição 1232 do Jornal de Contagem Pop Notícias

Obras na Avenida Maracanã

Uma obra estruturante As milhares de pessoas que passam todos...

Mais acessibilidade e inclusãox’

Facilidade de locomoção A Prefeitura investe para garantir a inclusão...

Aymoré e Arcor presenteiam a cidade

Comemorações O ano de 2024 é marcado por duas importantes...

Oncoclínicas inaugura unidade em Contagem

Considerado um dos maiores grupos de oncologia da América...
Ir para Criarteweb

Nessa semana o prefeito Alex de Freitas assinou duas ordens de serviço referente ao Sistema Integrado de Mobilidade (SIM). Uma o Corredor Norte-sul com 20 quilômetros de extensão que conectará Nova Contagem à Cidade Industrial e a outra ordem, o Corredor Ressaca com extensão de nove quilômetros ligando as avenidas Severino Ballesteros Rodrigues, João Gomes Cardoso, Teleférico, Babita Camargos e General David Sarnoff e benificiará mais de 230 mil pessoas em 121 bairros.
Obras que tiveram sua viabilidade com a arrecadação do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).
A mobilidade urbana se apresenta como um dos principais desafios das grandes metrópoles no Brasil e no mundo. O deslocamento de pessoas em direção aos grandes centros em busca de serviços de qualidade, empregos e oportunidades de negócios contribui para a concentração populacional nas grandes capitais e regiões metropolitanas.
Rapidez e conforto geram maior produção, um funcionário descansado e sem o estress do trânsito rende e trabalha muito mais. Um transporte público eficiente pode ajudar a retirar os carros das ruas e com isso, diminuir a poluição nos centros urbanos.
É notável a necessidade e a urgência de harmonizar os movimentos de bens e de pessoas com agilidade, eficiência, conforto e segurança, além de mitigar os impactos negativos geradas pelo transporte urbano, especialmente os congestionamentos, os acidentes, a poluição visual, atmosférica e sonora, bem como a exclusão social.
A mobilidade urbana tem grande impacto na economia local e na qualidade de vida das pessoas. Quando problemática, custa caro ao estado e a sociedade, em virtude das perdas que proporciona.
Já existem estudos que conseguem medir em valores o custo com doenças respiratórias e estresse, com perdas de materiais perecíveis ou mesmo com os cuidados necessários para sua conservação, com a queda de produtividade em geral, e principalmente com custos decorrentes dos impactos ambientais causados pelas emissões de CO2 na atmosfera advindo dos veículos que utilizam combustíveis fósseis.
Pensar a mobilidade urbana com mais tecnologia e inovação, é um dos mais urgentes desafios deste século.

Últimas Matérias

spot_img
Iniciar Conversa
Precisa de Ajuda?
JORNAL DE CONTAGEM
Olá
Podemos Ajudar