sexta-feira, 19 julho

    A Amazônia é nossa?

    Matérias Relacionadas

    STF decide que lei que criminaliza fake news é inconstitucional

    Em uma decisão histórica, o Supremo Tribunal Federal (STF)...

    Instituto CircoLar forma e catapulta artistas circenses de Minas Gerais

    Inscrições para a Formação Profissional em Artes Cênicas, que...

    Compartilhar

    5.500.000 km² é o tamanho aproximado da encrenca. A Amazônia é nossa, até a fronteira. Pois se estende ainda para o Peru, Colômbia e outros países da América do Sul. Trata-se um tesouro lapidado há décadas. Engana-se quem pensa que o desmatamento, grilagem de terras e garimpo são problemas recentes. Nenhum governo até hoje realizou uma política de preservação que fosse direta e objetiva. Hoje vemos o bombardeio diário da mídia sobre o tema. Colocando na cruz o atual presidente brasileiro.
    Um dos motivos para os constantes ataques reside no fato sem contestação de que há sim um aumento significativo do desmatamento e o corte na mamata das centenas de ONGs que recebiam milhões de reais por ano. ONGs que em sua maioria eram apenas de fachada. O foco era o lucro fácil, não era a preservação do gigante verde. Desde a posse do atual governo, benefícios e verbas para publicidade e projetos culturais foram reduzidos.
    Mudanças na Lei Rouanet que beneficiava apenas os que já estão consagrados e apenas se beneficiam deste recurso para engordar ainda mais a conta bancária pessoal. Milhares de cargos de confiança foram extintos, contratos suspeitos com empreiteiras foram cancelados, e a PETROBRAS que amargava prejuízos, sinaliza com uma ligeira recuperação.
    Médicos cubanos que recebiam do governo brasileiro e enviava mais de 60% do seu salário para Cuba tiveram a escolha de ficar e romper o elo com esse sistema de “escravidão”.Alguns ficaram, e dentre eles, poucos com capacidade para exercer a função com qualidade e eficiência. Dentro desta linha, a exoneração de cargos intocáveis nas gestões anteriores, que apenas visavam o lucro por meio de propinas das grandes empreiteiras e de acordos comerciais envolvendo contratos bilionários com as estatais.
    Dentro deste universo, a Amazônia não era o foco. Havia coisas mais importantes para a mídia destacar. Pois no passado, as ONGs lucravam, as emissoras de TVs lucravam (bem alto) e toda uma engrenagem ligada a apoios e patrocínios de eventos financiados com dinheiro público. As feras estavam saciadas. Os abutres tinham carniça de sobra. Hoje a Amazônia continua sendo explorada por todo o mundo. Por grandes empresas farmacêuticas. A tão desconhecida “Biopirataria”, que leva pra fora do Brasil princípios ativos extraídos da floresta da qual são produzidos remédios caríssimos.
    Talvez esse seja o motivo da Alemanha defender com unhas e dentes a preservação da Amazônia. Ela é apenas mais uma das aves de rapina que sobrevoam o território nacional.

    Paulo Werner

    spot_imgspot_img
    Artigo anterior
    Próximo artigo