sexta-feira, 19 julho

    Redução da criminalidade

    Matérias Relacionadas

    STF decide que lei que criminaliza fake news é inconstitucional

    Em uma decisão histórica, o Supremo Tribunal Federal (STF)...

    Instituto CircoLar forma e catapulta artistas circenses de Minas Gerais

    Inscrições para a Formação Profissional em Artes Cênicas, que...

    Compartilhar

    Ao que tudo indica vamos fechar 2018 com algo próximo a 24%, 25% de redução do número absoluto de crimes em todo o estado de Minas Gerais. Temos a preservação da vida humana como meta principal. Este é o nosso maior objetivo.

    A afirmação é do Coronel Mauro Lúcio de Moura Alves, comandante da 2ª Região de Polícia Militar (2º RPM), com sede em Contagem e atualmente responsável pelo policiamento ostensivo em 18 municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).
    Segundo ele, diferentemente do que acontece em outros estados do país, Minas Gerais tem registrado uma redução muito significativa dos índices de criminalidade.

    Através de um esforço muito grande de todos os policiais militares, conseguimos fechar 2017 na casa de 10,5% de redução dos crimes violentos. São números que vinham tendo uma tendência de crescimento a partir de 2005, se estabilizaram em 2016 – ou seja, foram 11 anos de crescimento ininterrupto – e em 2017 os indicadores desses crimes começaram reduzir.

    Esse resultado de 2017 representa um marco histórico de alteração na curva de tendência criminal no estado. “Fechamos também o primeiro trimestre de 2018 com um indicativo bem interessante de redução da criminalidade. Mas esses números não nos deixam acomodados. Precisamos melhorar muito. Não estamos satisfeitos, mas estamos no bom caminho. Isso não há dúvidas”, afirma o coronel.

     

    Sensação de segurança

    Apesar dos índices de criminalidade terem diminuído em 2017 e nos primeiros três meses deste ano, a sensação de insegurança nunca esteve tão alta. A questão de segurança segue como um clamor da população, vista como segunda ou terceira prioridade.
    Em Contagem não é diferente do restante do estado e país. A população ainda não percebeu esta queda no índice de criminalidade. “Mesmo com os números apresentados, ainda reina sobre a cidade um incomodo, uma preocupação. Acredito que ao fecharmos o ano registrando que o número absoluto de crimes em todo estado diminuiu significativamente, até o cidadão mais distraído, mais desavisado vai perceber que está melhorando”, afirma o comandante da 2ª RPM.
    Termômetro – O coronel Mauro Alves observa que a RMBH possui algumas peculiaridades. Contagem por exemplo, cidade com aproximadamente 620 mil habitantes, carrega características da capital, por ser fronteiriça a Belo Horizonte, e características próprias de cidade do interior. “Aqui na Região Metropolitana, nós lidamos com o cidadão da capital e o interiorano. Os números positivos da Região Metropolitana, especificamente da 2ª Região, refletem em Belo Horizonte e no interior”, observa.

    PMMG está atenta a migração de criminosos

    A crise na segurança pública vividos em outros estados, a exemplo da explosão da criminalidade no Rio de Janeiro, não tem trazidos reflexos negativos para Minas Gerais, de acordo com o comandante da 2ª RPM. Ele destaca que foram adotadas medidas de reforço e monitoramento de suas divisas para evitar possível migração de modalidades criminosas. “Comunicamos diariamente com os comandantes das Regiões vizinhas, principalmente ao Rio de Janeiro, em especial Juiz de Fora e adjacências, e lá os números são muitos parecidos com os da 2ª Região, ou seja, o que está acontecendo naquele estado é completamente diferente da nossa realidade”, afirma.
    O coronel observa que mesmo com esta constatação e os bons e expressivos resultados alcançados, a Polícia Militar está muito atenta.

    Estamos vigiando as fronteiras e em contato direto com nossas coirmãs Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil e órgãos do poder público. São muitos homens e mulheres talentosos empenhados nesse combate à criminalidade. No que depender de nós, vamos oferecer a Minas Gerias o que nosso povo merece.

    Concluindo o comandante deixou uma mensagem para a população de Contagem e aos seus 3.900 comandados da 2ª RPM. “À população, nossa cliente e maior razão da existência da Polícia Militar, dedico a minha continência, a minha lealdade, a minha honestidade e todos meus esforços. Aos meus irmãos de farda, contem sempre comigo. Sou mais um soldado na trincheira na guerra pela paz. Juntos somos mais fortes”.

    Trajetória militar

    Empossado na 2ª Região em maio de 2017, o Coronel Mauro Lúcio de Moura Alves, comandante de nove regiões da RMBH, construiu praticamente toda a carreira na Região Metropolitana. Serviu 13 anos no Batalhão Rotam, seis anos como subcomandante e comandante do Batalhão de Choque de Belo Horizonte. Foi também Comandante Geral da 18ª Região da Polícia Militar de Poços de Caldas. Já como coronel teve uma experiência de um ano e meio na fronteira de Minas com São Paulo. “Tive minha carreira construída no serviço operacional, que é o que gosto, é onde me sinto feliz, útil à comunidade”. “Essa experiência trago agora para a 2ª Região”, afirmou.

    2ª Região – Instalada em Contagem em fevereiro de 1998, a 2ª Região de Polícia Militar é responsável pelas atividades de policiamento ostensivo em uma área de 4.368 km, com uma população estimada em dois milhão e quatrocentos mil habitantes. Conta Atualmente com um efetivo de 3.900 militares, alocados em suas nove unidades operacionais, responsáveis pelo policiamento ostensivo em 18 municípios da RMBH, com sedes instaladas em Contagem (18º e 39º BPM e 2ª Companhia de Missões Especiais), Betim (33º BPM), Ribeirão das Neves (40º BPM), Ibirité (48º BPM), Igarapé (7ª Companhia da Policia Militar Independente) e Esmeraldas (8ª Companhia da Policia Militar Independente).

    spot_imgspot_img