terça-feira, 16 julho

    Qualidade na água da Copasa

    Matérias Relacionadas

    Ester Emanuelle para o Gata Dmais – Por João Paulo Dias

    Meu nome é Ester Emanuelle(@esterr_soares_), tenho 23 anos, sou...

    Edição 1235 28 de Junho de 2024

    Edição Online da Edição 1234 do Jornal de Contagem Pop Notícias

    Lula visita obras da Av. Maracanã

    O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva,...

    Campeonato Brasileiro Júnior e Elite

    Os atletas do projeto de Ginástica de Trampolim de...

    Prêmio Internacional: Contagem participa de eleição

    Contagem está participando do 18º Prêmio "Boas Práticas em...

    Compartilhar

    Os problemas na prestação de serviços da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) voltaram a ser pauta na plenária desta terça-feira (10). Desta vez, o vereador Daniel do Irineu (PP) destacou um requerimento de sua autoria solicitando esclarecimentos da companhia em relação a reclamações de moradores da região do Petrolândia sobre a má qualidade da água.

    Fui procurado por inúmeros moradores dos bairros Petrolândia, Sapucaias, Tropical, São Luiz, Chácaras e outros, alegando desconforto com a Copasa, pois a água estaria chegando muito turva na casa dessas pessoas, uma água barrenta. Fizemos uma visita in loco e constatamos que essa água está chegando às casas sem condições de uso, disse o parlamentar.

    Ele levantou a possibilidade de a Copasa estar realizando alguma intervenção nas adutoras que atendem a região. No entanto, criticou o fato de a companhia não informar previamente os moradores sobre o acontecimento e não interromper o fornecimento de uma água que seria imprópria para o consumo.

    Necessidade de cobranças – Em aparte, os vereadores Capitão Fontes (MDB), Vinícius Faria (PCdoB) e o presidente da Câmara, Daniel Carvalho (PV), deram apoio à solicitação, ressaltando a necessidade de maior cobrança em relação à prestação de serviços da Copasa.

    O presidente da Câmara lembrou a mobilização de várias câmaras municipais de Minas para cobrar melhor prestação de serviços de abastecimento de água, de coleta e tratamento de esgoto e a redução das taxas cobradas pela companhia. E adicionou a necessidade de cobrar contrapartidas para o Município em relação à exploração da reserva hídrica de Vargem das Flores.

    Daniel Carvalho terminou o debate conclamando a todos a se envolverem ao movimento surgido no sul de Minas, para uma cobrança mais intensa e mais firme à Copasa.

    spot_imgspot_img