sexta-feira, 12 julho

    Acesso a carceragens

    Matérias Relacionadas

    Ester Emanuelle para o Gata Dmais – Por João Paulo Dias

    Meu nome é Ester Emanuelle(@esterr_soares_), tenho 23 anos, sou...

    Edição 1235 28 de Junho de 2024

    Edição Online da Edição 1234 do Jornal de Contagem Pop Notícias

    Lula visita obras da Av. Maracanã

    O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva,...

    Campeonato Brasileiro Júnior e Elite

    Os atletas do projeto de Ginástica de Trampolim de...

    Prêmio Internacional: Contagem participa de eleição

    Contagem está participando do 18º Prêmio "Boas Práticas em...

    Compartilhar

    O Projeto de Lei de autoria do líder do governo na Assembleia, deputado Durval Ângelo (PT), foi aprovado em segundo turno pelo plenário da Casa e dispõe sobre o livre acesso de autoridades a carceragens do Estado. A lei está pronta para ser sancionada pelo governador Fernando Pimentel (PT).

    O texto altera a Lei que trata do acesso de autoridades a unidades prisionais e estabelecimentos policiais de Minas. Com a mudança, poderão entrar livremente nestes locais os ouvidores de Polícia e do Sistema Penitenciário e seus representantes, membros do Conselho da Comunidade das respectivas comarcas, integrantes de comissões temáticas da Assembleia Legislativa e representantes de pastorais e capelanias religiosas.

    A matéria determina ainda que estas visitas poderão ser realizadas a qualquer tempo, independentemente de aviso prévio, com exceção dos representantes das pastorais e capelanias, que devem avisar sobre as visitas com antecedência de 72 horas. Durval justificou a necessidade de alteração da atual legislação com a dificuldade enfrentada atualmente para que seja feito o controle externo das carceragens.

    Carceragens-01

    Meu projeto amplia o acesso do ouvidor do sistema penitenciário, dos ouvidores, que têm acesso garantido. Amplia também no sentido de que considera as prisões militares e da Polícia Civil como passíveis de serem visitadas, disse. E dá esse direito também a um membro do Conselho da Comunidade. São os olhos e os braços do juiz da execução na fiscalização da questão carcerária, observou.

    spot_imgspot_img
    Artigo anterior
    Próximo artigo