18.1 C
Contagem
quarta-feira, maio 29, 2024
HomeCadernosGeralAlerta Grave

Alerta Grave

Date:

Matérias Relacionadas

Edição 1232 24 de Maio de 2024

Edição Online da Edição 1232 do Jornal de Contagem Pop Notícias

Obras na Avenida Maracanã

Uma obra estruturante As milhares de pessoas que passam todos...

Mais acessibilidade e inclusãox’

Facilidade de locomoção A Prefeitura investe para garantir a inclusão...

Aymoré e Arcor presenteiam a cidade

Comemorações O ano de 2024 é marcado por duas importantes...

Oncoclínicas inaugura unidade em Contagem

Considerado um dos maiores grupos de oncologia da América...
Ir para Criarteweb

Aplicativo de mensagens

O “Fantástico” desta semana trouxe à tona os acessos virais de um aplicativo que suscita riscos graves para a saúde física e mental de nossos jovens e crianças: Discord.
Os acessos viraram uma “Trend” e a reportagem especial do dominical da Rede Global, investiga os perigos por trás desse aplicativo de mensagens que se tornou muito popular entre os jovens. Em conversas no Discord, menores de idade são expostos a situações de importunação sexual, incentivo à automutilação e crueldade contra animais.
O famoso “Discord” se tornou palco de desafios extremos e traz em seu conteúdo vídeos perturbadores. É uma plataforma gratuita com interações, no mínimo, violentas, onde, como mencionado na reportagem, criminosos anônimos incentivam crianças e adolescentes a praticarem desafios que envolvem automutilação e até mesmo pedofilia.
Mas o que está por trás dessas tendências e buscas virais por este tipo de aplicativo extremamente perigoso? Porque situações destrutivas e que suscitam riscos á saúde física e emocional, podem viralizar entre nossas crianças e adolescentes? Qual o gatilho motivador faz com que eles busquem acompanhar e fazer parte destes aplicativos?
Psicanaliticamente falando, devemos lembrar que o ser humano possui o desejo inerente do pertencimento. Uma necessidade de pertencer a alguma tribo ou a algum grupo. Esses jovens e crianças ainda estão passando pelo processo de construção de sua personalidade e tendem a ter mais aflorado esse desejo de fazer parte de algum tipo de “comunidade”.
Motivo pelo qual, os pais ou responsáveis devem manter uma rotina de diálogo, uma comunicação aberta, uma escuta ativa, além da abertura da possibilidade e flexibilização para que os filhos possam externar seus sentimentos e suas emoções. Sem dúvida alguma, através do diálogo é possível investigar qual a motivação leva esse indivíduo a se aventurar por ações coletivas duvidosas, viralizadas nas redes sociais.
Um outro aspecto, muito importante, tem chamado a atenção já há algum tempo: a busca pela popularidade. Ser popular, ter a atenção de todos, ser querido, ser o “bom” ou a “boa”, ou mesmo ser notado. Um tipo de comportamento que denuncia sinais de autoestima baixa, complexo de inferioridade ou fobia e neurose relacionados à rejeição.
E ainda podemos levantar mais alguns questionamentos relacionados à motivação: será que esse indivíduo não está buscando ser notado, por não estar sendo visto ou acompanhado em casa? Precisa chamar a atenção de seu entorno pela impossibilidade de se expressar e ser compreendido por todos?
A subjetividade mostra que muitas são as perguntas e diversas podem ser as respostas. Mas, não podemos fechar os olhos ao que tem sido ofertado aos jovens. Pois, visto toda a urgência e velocidade tecnológica que estamos vivenciando nos últimos anos, existe uma necessidade iminente dos pais estarem atentos ao que é consumido pelos filhos nas redes sociais.
Estão se alimentando de que tipo de conteúdo? Estão gastando tempo e energia com que tipo de informação? Esse controle mais presente, recheado de diálogo e informação e sem imposições, é fundamental para que não sejam influenciados por ações destrutivas que possam afetar seu equilíbrio físico e emocional.
Por fim, o âmbito familiar é a base de construção do caráter, da personalidade, dos valores e do comportamental de nossos adolescentes. É preciso muita atenção com o que permitimos de acesso por nossos filhos.
Os perigos fazem parte da vida e a sabedoria está em fortalecer a comunicação, a educação e a formação do caráter e do estado emocional desse indivíduo que, muitas vezes clama por socorro, pede limites e acena por atenção e pela possibilidade de poder posicionar sua voz em muitos momentos.
Basta que estejamos dispostos a ouvir e atender aos apelos silenciosos. Desta forma, podemos evitar a proliferação de um exército de adolescentes perdidos e sem foco, afundados em abusos e excessos, consumidos através das redes sociais.

Últimas Matérias

spot_img
Iniciar Conversa
Precisa de Ajuda?
JORNAL DE CONTAGEM
Olá
Podemos Ajudar