sábado, 13 julho

    Represa de Vargem das Flores

    Matérias Relacionadas

    Ester Emanuelle para o Gata Dmais – Por João Paulo Dias

    Meu nome é Ester Emanuelle(@esterr_soares_), tenho 23 anos, sou...

    Edição 1235 28 de Junho de 2024

    Edição Online da Edição 1234 do Jornal de Contagem Pop Notícias

    Lula visita obras da Av. Maracanã

    O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva,...

    Campeonato Brasileiro Júnior e Elite

    Os atletas do projeto de Ginástica de Trampolim de...

    Prêmio Internacional: Contagem participa de eleição

    Contagem está participando do 18º Prêmio "Boas Práticas em...

    Compartilhar

    A vida útil do Reservatório de Vargem das Flores, represa localizada entre Contagem e Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), bem como o desmatamento em seu entorno, foi tema de debate na quinta-feira (21/11/19) em audiência convocada pela Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa. A reunião aconteceu a pedido da deputada Marília Campos (PT) e do deputado Professor Irineu (PSL).
    Conforme pedido da deputada, foi debatido o estudo “Avaliação da vida útil do Reservatório de Vargem das Flores”, contratado pela Copasa, a Companhia de Saneamento do Estado, junto à Coordenação de Projetos, Pesquisas e Estudos Tecnológicos (Coppetec), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O documento, que é publico, foi abordado por vários presentes e aponta que em 20 anos a lagoa pode secar. Convidados, os dirigentes da estatal não compareceram para expor o relatório, ausência que foi criticada pela parlamentar.
    “O que está em risco é o abastecimento de água de Contagem, Betim e parte de BH. O fim da área rural no Plano Diretor e agora as alterações que estão sendo propostas pelo projeto de lei da Prefeitura de Uso e Ocupação do Solo e que tramita na Câmara Municipal, representam um retrocesso para a cidade. A lagoa pode secar. Em um cenário de crise hídrica, Contagem está abrindo mão de seu patrimônio natural e quem vai pagar por isso é a população”, destaca Marília.
    A deputada apresentou requerimento a ser enviado aos vereadores contagenses para que o prazo de tramitação do projeto de Uso e Ocupação do Solo seja estendido, de modo a propiciar uma maior participação da sociedade civil e dos representantes da Assembleia. Ela alerta que as alterações das leis podem levar a um adensamento populacional que vai atingir a Área de Proteção Ambiental – APA Várzea das Flores, desmatando e acabando com as nascentes na região. E disse que, sendo a lagoa área de interesse metropolitano, vai trazer o debate para o legislativo e para a Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte, que trata das questões intermunicipais.

    A deputada Marília Campos (PT) apresentou requerimento a ser enviado aos vereadores de Contagem (Gilvan Silva)

    A represa – A Várzea das Flores ou Vargem das Flores é uma represa construída no Rio Betim, controlada pela Copasa. O empreendimento faz parte do Sistema Integrado do Paraopeba, que atende populações da região, também beneficiadas pelos rios Manso, Serra Azul e Vargem das Flores. Além de ser um importante reservatório de abastecimento de água para os municípios de Betim, Contagem e Belo Horizonte, a represa Várzea das Flores contribui para a sub-bacia do Rio Paraopeba, que, por sua vez, pertence à Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco.

    spot_imgspot_img