quarta-feira, 24 julho

    A sujeira do primeiro turno

    Matérias Relacionadas

    STF decide que lei que criminaliza fake news é inconstitucional

    Em uma decisão histórica, o Supremo Tribunal Federal (STF)...

    Instituto CircoLar forma e catapulta artistas circenses de Minas Gerais

    Inscrições para a Formação Profissional em Artes Cênicas, que...

    Compartilhar

    A prática inadequada de dispensar material de campanha política nas proximidades de locais de votação é cada vez mais comum no período que antecede as eleições. Além de despreocupados com a sujeira causada, os infratores não se preocupam com o risco eminente de acidentes com as pessoas que transitam nas áreas. A prática, que além de crime eleitoral também é considerada crime ambiental, é bastante comum no dia de votação como tentativa de angariar votos de eleitores ainda indecisos. Porém, a prática não é aprovada pela população.

    Como ação imediata, a equipe de Limpeza e Varrição da Subsecretaria de Serviços Urbanos já está percorrendo durante toda a semana os locais de votação para a retirada do material. A contagem final será realizada no fim dos trabalhos, mas já foi retirada mais de uma tonelada de material das vias. De acordo com o subsecretário de Serviços Urbanos, João Bahia, foi montada uma programação para a limpeza dos locais, com prioridade para as sessões de maior movimentação de eleitores e volume de lixo.

    Os espaços com grande circulação de pessoas já estão sendo limpos desde segunda-feira. Vamos continuar a semana, inclusive até no feriado do dia 12 de outubro, com a limpeza. Todas os locais de votação da cidade terão o lixo recolhido, finalizou.

    A orientação é que ao presenciar a prática de despejo de material eleitoral nas vias, denuncie pelo telefone 0800 2831 225 ou no portal www.tre-mg.jus.br.

    spot_imgspot_img