quinta-feira, 18 julho

    Prisão visa impedir sua candidatura

    Matérias Relacionadas

    STF decide que lei que criminaliza fake news é inconstitucional

    Em uma decisão histórica, o Supremo Tribunal Federal (STF)...

    Instituto CircoLar forma e catapulta artistas circenses de Minas Gerais

    Inscrições para a Formação Profissional em Artes Cênicas, que...

    Compartilhar

    As falas na audiência da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), na segunda-feira (16) giraram em torno da prisão de Lula, considerada “o desfecho do golpe que derrubou a presidente Dilma Roussef”; e uma prisão injusta porque ele é acusado sem provas por um suposto crime, enquanto outros políticos contra quem pesam denúncias comprovadas continuam soltos.

    Solicitada pelos deputados Cristiano Silveira, presidente da comissão, e Rogério Correia, ambos do PT, a reunião foi realizada na véspera do dia que marca a passagem de dois anos do impeachment da ex-presidenta Dilma e cinco anos da data em que Lula recebeu, na ALMG, o título de cidadão mineiro, em 15 de abril de 2013.

    Cristiano Silveira destacou que de nada adiantaria ter feito o impeachment de Dilma se deixassem o ex-presidente Lula à frente em todas as pesquisas eleitorais, livre para voltar ao poder. Ele denunciou “a cumplicidade da mídia”, e disse que

    é uma prisão injusta, sem crime, sem provas, com um rito processual que não garantiu todas as possibilidades de recursos.

    O deputado Rogério Correia frisou que “o presidente mais popular da história do Brasil, com 72 anos de idade, é um preso político”.

    Como presidente, tirou 40 milhões de brasileiros da miséria e agora é preso sob a desculpa de ter recebido um triplex. O triplex foi ocupado no dia 16/04 pelo MTST e a Justiça mandou desocupar. Ora, mas o Lula não é o dono? Ou o dono é quem mandou desocupar? Essa contradição, o Moro não consegue responder, afirmou.

    Calendário – O feriado de Tiradentes, dia 21, será o Dia Nacional Lula Livre, em Ouro Preto. Logo após a entrega da Medalha da Inconfidência, manifestantes vão entregar a medalha Lula Livre. E no dia 23, em Curitiba, o PT nacional vai confirmar a candidatura de Lula à Presidência.

    spot_imgspot_img