sexta-feira, 12 julho

    Dilma munda domicílio eleitoral

    Matérias Relacionadas

    Ester Emanuelle para o Gata Dmais – Por João Paulo Dias

    Meu nome é Ester Emanuelle(@esterr_soares_), tenho 23 anos, sou...

    Edição 1235 28 de Junho de 2024

    Edição Online da Edição 1234 do Jornal de Contagem Pop Notícias

    Lula visita obras da Av. Maracanã

    O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva,...

    Campeonato Brasileiro Júnior e Elite

    Os atletas do projeto de Ginástica de Trampolim de...

    Prêmio Internacional: Contagem participa de eleição

    Contagem está participando do 18º Prêmio "Boas Práticas em...

    Compartilhar

    A ex-presidente Dilma Rousseff afirmou, ao chegar ao Tribunal Regional Eleitoral, em Belo Horizonte, para transferir seu domicílio eleitoral para Minas Gerais, esperar que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja candidato neste ano. A petista não confirmou, contudo, que concorrerá ao Senado.
    Dilma afirmou que transferiu seu título de eleitor para Minas Gerais para ficar mais perto da mãe, que mora em BH.

    Eu tenho uma parte da família aqui, especificamente minha mãe. Ela está com 94 anos, está naquela fase que vai pro hospital, sai, torna a voltar. Eu tenho vindo muito pra cá, disse.

    Ao ser questionada sobre uma candidatura ao Senado, a ex-presidente desconversou.

    Uma coisa vocês podem ter certeza: eu vou fazer campanha candidata ao Senado ou não. Participarei da campanha em 2018 em qualquer condição.

    A petista emendou esperar que a campanha seja ao lado de Lula.

    Lógico que eu creio que é com o Lula. Espero que o Lula seja candidato em 2018 e vou lutar para que ele seja.

    O domicílio eleitoral da petista era no Rio Grande do Sul, terra de seu ex-marido e onde se radicou após ser presa pela ditadura militar. Dilma, porém, é nascida em Belo Horizonte.
    Segundo a legislação eleitoral, os candidatos devem definir seu domicílio até seis meses antes da eleição.

    Se a candidatura do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à reeleição se confirmar, o tucano e a petista voltarão a se enfrentar nas urnas, como na eleição presidencial em 2014.

    spot_imgspot_img