sexta-feira, 19 julho

    52 anos de história

    Matérias Relacionadas

    STF decide que lei que criminaliza fake news é inconstitucional

    Em uma decisão histórica, o Supremo Tribunal Federal (STF)...

    Instituto CircoLar forma e catapulta artistas circenses de Minas Gerais

    Inscrições para a Formação Profissional em Artes Cênicas, que...

    Compartilhar

    Durante a Reunião Especial de Plenário que homenageou os 52 anos do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) nesta segunda-feira, 26, o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Adalclever Lopes (PMDB), defendeu os valores democráticos do partido e seu compromisso histórico de “esperança e mudança”.
    Ele lembrou a história de resistência da legenda, simbolizada pela figura de Ulysses Guimarães, que, segundo ele, deixou uma lição de coragem, fé, respeito ao povo e defesa da democracia. Adalclever Lopes enfatizou que, na Assembleia, o MDB se caracteriza pela unidade e coerência, constituindo-se como a maior bancada (com 13 deputados).
    Para ele, a participação do partido nas eleições deste ano será fundamental. Adalclever Lopes ainda lembrou que o MDB participou de todas as campanhas para o Governo do Estado, com exceção dos anos de 2006 e 2014, quando integrou chapas.
    O evento, que contou com a presença de diversas autoridades e lideranças políticas, foi marcado pela defesa de uma candidatura própria do partido ao Governo do Estado e ao Senado Federal.

    Ao ser questionado sobre uma eventual candidatura ao governo, em entrevista coletiva após o evento, Adalclever Lopes disse que a decisão final será tomada pelo partido. “Sou candidato ao que o meu partido escalar. Na convenção isso vai ser decidido”, afirmou.

    Ex-governador defende candidatura própria

    Newton Cardoso (governador do Estado de Minas Gerais entre 1987 e 1991)

    Ex-governador do Estado no período de 1987 a 1991, Newton Cardoso falou sobre uma candidatura própria do partido, defendendo a união em torno dos nomes de Josué Alencar ao Senado e de Adalclever Lopes ao Governo do Estado. Ele ainda disse que hoje existe o MDB sadio, bem como a parte do partido considerada por ele como podre.
    No evento também foi lançado o livro “A verdade por trás da lenda”, biografia do ex-governador Newton Cardoso, um dos fundadores do partido em Minas Gerais.
    Polaridade – O empresário Josué Alencar, filho do ex-vice-presidente da República José Alencar, disse que o País se encontra diante de uma encruzilhada. “Estamos entre um Brasil que tem tradição de ser solidário, tolerante, em que as reformas econômicas visam um estado mais eficiente, versus um país indiferente, radicalizado, que propõe um estado mínimo, em que reformas econômicas são feitas para saciar a sede do mercado financeiro. O MDB está do lado correto dessas escolhas”, disse.
    Para ele, o MDB tem que voltar a ser um ponto de união e está pronto para assumir a vanguarda desse trabalho.

    A história de lutas e conquistas nos credencia para esse desafio, afirmou.

    TSE
    Em dezembro, uma convenção nacional do então PMDB decidiu pelo retorno ao nome original da leganda: MDB. A alteração já foi comunicada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas ainda não foi oficializada pela corte. Por isso, na Assembleia Legislativa, o partido continua sendo chamado de PMDB

    spot_imgspot_img