segunda-feira, 22 julho

    Mochila pesada

    Matérias Relacionadas

    STF decide que lei que criminaliza fake news é inconstitucional

    Em uma decisão histórica, o Supremo Tribunal Federal (STF)...

    Instituto CircoLar forma e catapulta artistas circenses de Minas Gerais

    Inscrições para a Formação Profissional em Artes Cênicas, que...

    Compartilhar

    Na hora de escolher a mochila para ir à escola, crianças e adolescentes só levam em conta se são coloridas, grandes e cheias de bolso e zíperes. Mas é preciso pensar no peso que vão carregar. “O uso contínuo de mochila pesada pode levar a dor, desvio de postura e até doenças mais sérias na coluna, como lordose e escoliose”, alerta o ortopedista Alexandre Fogaça Cristande. Para evitar esses desgastes sérios na coluna dos seus filhos, indicamos 10 maneiras de tirar, literalmente, o peso das costas do seu filho.

    O peso ideal – O peso da mochila não pode ultrapassar 10% do peso da própria criança, segundo Ale- xandre Fogaça. Ou seja, se ela pesa 40 kg, o material não pode ter mais de 4 kg.

    A altura correta – A mochila nunca deve ser maior do que as costas da criança, mas sempre ficar na altura do bumbum. Portanto, nada de afrouxar demais as alças!
    Use sempre as duas alças – Muita gente, principalmente os adolescentes, tem mania de carregar as bolsas em um ombro só, por uma alça apenas. Está errado. “A mochila tem que ter três pontos de apoio: duas alças e uma tira que amarre na cintura. Isso ajuda a distribuir o peso”, alerta o ortopedista Fogaça.

    Mochilas sem muitos bolsos – A regra é fácil: quanto menos bolsos tiver a mochila do seu filho, melhor. Até porque, quando ela tem vários compartimentos, fica muito tentador para a garotada carregar ali dentro mais material do que o necessário! As crianças podem querer colocar algum brinquedo só para exibir para os amigos, lápis dos mais variados, além de outros objetos.

    Opte por rodinhas – Caso seu filho tenha que carregar um monte de materiais, o ideal é optar pelas mochilas de rodinha (as preferidas das crianças e o “terror” dos adolescentes). Mas atenção com a alça de puxar das bolsas desse modelo! Seu filho não deve se abaixar enquanto puxa a mochila. “Ela deve ficar na altura do punho da criança”, diz Fogaça.

    Lanche separado – Nada de enfiar a lancheira na mochila, junto com os cadernos. Além de abafar o lanche, isso vai fazer ainda mais peso. Opte por comprar uma lancheirinha para os pequenos, e peça para levarem separadamente.

    Vistoriar a mochila – Peça para o seu filho verificar as aulas que terá no dia seguinte. Livros e cadernos que ele não for usar devem ficar em casa. Cheque você mesma! A criança acha mais “fácil” deixar todo o material na bolsa logo de uma vez.

    Procure a escola – Se não tiver jeito mesmo e o material for realmente pesado, com livros grossos e cadernos de diversas matérias, vale a pena conversar com a escola. Fale com a diretora e veja se o estudante pode deixar o mais pesado no colégio e levar para casa o que precisa para estudar.

    Leve só o necessário – Se a criança é pequena, dê uma olhada se não está levando nada a mais. Se colocou o giz de cera na mala, por que incluir o lápis de cor e a canetinha? Tire o que é desnecessário: coloque apenas o que ela precisa mesmo.

    Fichário é alternativa – Para os adolescentes, o fichário é uma opção. Assim, ele não tem que carregar os cadernos, mas tudo unificado. Ajude-o no começo a organizar as folhas por matérias e compre aqueles adesivos que ajudam a arrumar as folhas que rasgaram.

    spot_imgspot_img