sexta-feira, 12 julho

    O cuidado se aprende desde criança

    Matérias Relacionadas

    Ester Emanuelle para o Gata Dmais – Por João Paulo Dias

    Meu nome é Ester Emanuelle(@esterr_soares_), tenho 23 anos, sou...

    Edição 1235 28 de Junho de 2024

    Edição Online da Edição 1234 do Jornal de Contagem Pop Notícias

    Lula visita obras da Av. Maracanã

    O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva,...

    Campeonato Brasileiro Júnior e Elite

    Os atletas do projeto de Ginástica de Trampolim de...

    Prêmio Internacional: Contagem participa de eleição

    Contagem está participando do 18º Prêmio "Boas Práticas em...

    Compartilhar

    Houve um tempo em que os seres humanos não haviam desenvolvido valores morais de respeito ao outro. Naquela situação, tribos estavam sempre em conflito.
    A sobrevivência de uma tribo dependia de defesa forte e ataque igualmente forte, com guerreiros dedicados a lutar, matar e morrer. Isso cabia aos homens. Muitos homens morriam em combate. E precisavam ser substituídos.
    Cabia às mulheres fornecê-los.
    Desenvolveu-se a tradição de adestrar meninas para se tornarem reprodutoras e cuidadoras de crianças pequenas. Aos meninos, entregavam espadas, arcos e flechas e técnicas para agredir e matar inimigos. Também engravidar suas mulheres e as mulheres de inimigos mortos.

    Séculos e séculos se passaram desde a pré-história.

    Muitos costumes evoluíram. Chegamos ao ponto de nos organizar em grandes cidades. Bilhões de pessoas já aprenderam que o respeito ao outro, a harmonia na comunidade e a educação para a boa convivência são os melhores caminhos para a paz e a segurança. São pessoas que resolvem seus problemas sem causar problemas para outros. Nos momentos de conflito, procuram a melhor solução, o consenso. Usam o diálogo, mesmo sendo muito e muito mais demorado do que dar um tiro.
    Quando essas pessoas formam casais, criam juntas os seus filhos, compartilhando tarefas. Não há mais necessidade de adestrar meninas e meninos em tradições antigas. Mulheres dirigem caminhões, homens trocam fraldas. Hoje, são atividades tão comuns que podem ser tornar brincadeiras de crianças: meninas que se distraem com caminhões de brinquedo e meninos que trocam fraldas de boneca. Permitir essa naturalidade é promover o entendimento do outro, passo importante para o respeito, a formação de valores morais saudáveis.
    Wagner Matias de Andrade
    www.5s.com.br

    spot_imgspot_img
    Artigo anterior
    Próximo artigo