20.9 C
Contagem
segunda-feira, maio 27, 2024
HomeCadernosEconomiaDia das Mães: novos hábitos

Dia das Mães: novos hábitos

Date:

Matérias Relacionadas

Edição 1232 24 de Maio de 2024

Edição Online da Edição 1232 do Jornal de Contagem Pop Notícias

Obras na Avenida Maracanã

Uma obra estruturante As milhares de pessoas que passam todos...

Mais acessibilidade e inclusãox’

Facilidade de locomoção A Prefeitura investe para garantir a inclusão...

Aymoré e Arcor presenteiam a cidade

Comemorações O ano de 2024 é marcado por duas importantes...

Oncoclínicas inaugura unidade em Contagem

Considerado um dos maiores grupos de oncologia da América...
Ir para Criarteweb

Economia patinando, inflação alta, preços nas alturas. Com esse cenário, os consumidores mineiros foram obrigados a planejar melhor suas compras. É o que revela uma pesquisa realizada no mês de abril pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de Minas Gerais – FCDL-MG. De acordo com o levantamento, 98,3% dos entrevistados dizem ter mudado os hábitos de consumo para garantir a segurança financeira de suas famílias.

“Isso é reflexo de um cenário econômico ainda muito incerto. A população está mais cautelosa do que nunca e sentindo o aumento dos preços paulatinamente em todas as esferas de sua cesta de consumo”, afirma o economista da FCDL-MG, Vinicius Carlos Silva.

Segundo ele, mesmo com o avanço da vacina, a economia ainda não se recuperou como deveria. “A despeito da animação do consumir e o retorno de sua segurança, temos uma crise que foi instalada concomitantemente com todo o processo da crise sanitária, que impactou diretamente em todas as variáveis macroeconômicas, o que gerou um processo inflacionário e de desemprego”, explica o economista.

Ainda de acordo com a pesquisa, para 94,9% dos consumidores mineiros, a alta dos preços afetou muito as finanças. Já 3,4% dos entrevistados informaram que sentiram até uma redução e 1,7% disseram que os preços dos produtos dos itens que estão acostumados a comprar permaneceram iguais em relação à 2021.

No que tange à cesta de produtos, os mineiros estão priorizando os itens essenciais, tais como alimentação (37,8%) e Farmácia (22,9%). Além disso, figuram na lista Vestuário (6,4%) e Calçados (5,6%).

O levantamento mostrou ainda que para 47,5% dos entrevistados a situação financeira da família em 2022 está igual à de 2021. Já para 33,9%, a situação está pior que a de 2021 e, somente para 18,6%, ela está melhor.

Preços altos e Dia das Mães

Tradicionalmente, o Dia das mães é a segunda melhor data comemorativa para o varejo, perdendo apenas para o natal. De acordo com a pesquisa, 72% dos consumidores estão dispostos a desembolsar cerca de R$ 213 reais em presentes, sendo esse valor um reflexo do aumento dos preços.

Dentre os produtos mais procurados, estão os itens básicos, tais como vestuário, calçados, cosméticos e perfumaria. Assim, espera-se que o Dia das Mães em Minas Gerais gire cerca de R$ 2,7 bilhões.

“O Dia das Mães é uma data de forte apelo emocional e, por isso, mesmo cautelosas com suas finanças, as pessoas querem presentear. Ao lojista cabe, então, criar estratégias e promoções com preços atrativos, para girar seu estoque e movimentar seu caixa. Somente com o equilíbrio entre as variáveis que permeiam o consumo, é que iremos conseguir vencer os desafios impostos por esse cenário econômico tão incerto”, finaliza Vinicius Silva.

Últimas Matérias

spot_img
Artigo Anterior
Próximo Artigo
Iniciar Conversa
Precisa de Ajuda?
JORNAL DE CONTAGEM
Olá
Podemos Ajudar