Educação infantil

0
3
“Temos essa preocupação em comum com o Brasil e o esforço para solucionar essa questão é de fundamental importância para a sociedade” (Foto: Carlos Conde)

O cônsul-geral do Japão no Rio de Janeiro, Yoshitaka Hoshino e o presidente do Centro Industrial e Empresarial de Minas Gerais (Ciemg), José Agostinho da Silveira, inauguraram, no último dia 6, as obras de ampliação e reforma do Centro de Educação Infantil Madre Tarcísia, no Bairro Bela Vista, em Contagem. Os recursos foram doados pelo povo do Japão a COEP – órgão de responsabilidade social do Ciemg.
Hoshino lembrou que um dos grandes problemas sociais do Japão é a falta de creches para garantir tranquilidade às mães que trabalham e, muitas mulheres optam por não ter filhos. Isso levou, de 2008 até agora, à queda de um milhão de pessoas na população do Japão.

Temos essa preocupação em comum com o Brasil e o esforço para solucionar essa questão é de fundamental importância para a sociedade, ressaltou.

No início desse ano, por iniciativa da voluntária Maria Augusta Panzera foi criado e encaminhado ao governo do Japão, por meio do Programa de Assistência a Projetos Comunitários e Segurança Humana (APC), o projeto que, aprovado, liberou R$ 213 mil para a ampliação e reforma da entidade de assistência social que hoje atende 93 crianças, em horário integral.
Trata-se de um programa de pequeno porte que, em 18 anos, apoiou 41 instituições de assistência social em Minas Gerais, informou o cônsul, ao destacar que essa contribuição “é uma demonstração do afeto e afinidade especial que os japoneses sentem pelo Brasil”.
Além da construção de 4 salas e banheiros, as doações de outros voluntários agregaram valor à obra, garantindo a instalação de mais chuveiros, um poço artesiano, espaço multiuso coberto e a reforma das instalações elétricas e do aquecimento solar.
As obras ampliaram o atendimento de 93 crianças de 4 a 11 meses, para mais 50 crianças de até 5 anos e 11 meses de idade, da região do Bela Vista, Beatriz e Bernardo Monteiro.

Nessa idade, as crianças serão encaminhadas diretamente
para a escola pública, informou a presidente do COEP, Martha Lassance.

SEM COMENTÁRIOS