Inovações tecnológicas

0
7
Olavo Machado, presidente da Federação das Indústrias de MG (Foto: Divulgação)

Com o tema “Impactando o mercado, gerando negócios e grandes parcerias”, a 14ª edição da Feira Industrial do Vale da Eletrônica (FIVEL) realizada em Santa Rita do Sapucaí, foi aberta pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), Olavo Machado Junior, na terça-feira (12).
Durante o evento, Olavo Machado destacou as demonstrações concretas das empresas da região na fabricação de produtos de alta tecnologia agregada e na abordagem do mercado internacional.

O Vale da Eletrônica de Minas sempre está presente nos grandes eventos
mundiais do setor, com grande aceitação no mercado internacional, disse.

Além de apresentar inovações e tendências na área tecnológica, a feira, promovida pelo Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do Vale da Eletrônica (Sindvel), debateu também Internet das Coisas (IoT), as relações de competitividade entre startups e grandes empresas e a solução da indústria 4.0.
Maior polo de tecnologia eletroeletrônica do país, o Vale da Eletrônica reúne 153 empresas, cujo faturamento conjunto previsto para 2017 é de R$ 3,2 bilhões. As indústrias locais fabricam mais de 14,5 mil produtos e empregam 14,7 mil pessoas.

Inovação – A Fivel apresenta ainda grandes inovações, entre elas, o lançamento da tornozeleira eletrônica mais eficiente no mercado; o PABX que pode zerar os custos de ligações para celular e uma central de alarmes residenciais controladas por smartphone.
De acordo com o presidente do Sindvel, Roberto Souza Pinto, a inovação é palavra de ordem para as empresas:

Se não houver investimento neste sentido perdemos mercado,
já que a obsolescência dos produtos é em média de dois anos.

Entre as atividades da feira estão rodadas de negócios como o Projeto Comprador, promovido pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex- Brasil), além de palestras sobre temas atuais, como o impacto da Reforma Trabalhista nas relações do trabalho, e os impactos das Normas Regulamentadoras – NRs 10, 12 e 35 no dia a dia das empresas.

SEM COMENTÁRIOS