Jubileu de Prata do padre Oscar

0
14

Para celebrar seus 25 anos de sacerdócio, o padre Oscar Aquino Baeta Andrade, 65 anos, concelebrou, na noite do domingo 25 de junho de 2017, na Paróquia Nossa Senhora da Piedade, do Bairro das Indústrias, o 12º Domingo da missa Tempo Comum com os padres José Geraldo Lisboa, vigário da comunidade; Zezinho, da Paróquia Santo Antônio, de Venda Nova; José Macilon da Silva, de Santo Antônio de Roça Grande, Sabará; Carmelino Pereira Farias (sem paróquia) e Pedro, de Betim e ex-coadjuvante de Oscar no Bairro das Indústrias.


No interior da igreja, com os bancos todos lotados, nos ritos iniciais um grupo dançante de crianças entronizou a Bíblia para as leituras litúrgicas do dia. Após invocar o Espírito Santo, o padre Oscar iniciou sua homilia cumprimentando cada um dos concelebrantes e refletiu em seguida sobre a liturgia dominical. “A liturgia de hoje nos convida a meditar sobre a fé em Deus ainda mais forte diante das provações”, disse ele.
Liturgia – Na primeira leitura (Jr 20, 10-13), continuou o pregador, “Jeremias foi chamado por Deus para ser o profeta que denunciou as injúrias daqueles que espalhavam o medo em redor. Foi por isso perseguido, mas Deus veio em seu socorro, para nos ensinar que diante das perseguições não devemos ter medo e depositar toda a nossa confiança em Deus”.
Na segunda leitura (Rm 5, 12-15), São Paulo enfatiza que “o pecado entrou no mundo e veio trazer a morte. Mas, esta (a morte) não é a palavra final: foi vencida com a ressurreição de Jesus, que nos deu a graça de Deus para a nossa salvação, como dom gratuito concedido a todos nós”.
Sobre o evangelho (Mt 10, 26-33) o padre Oscar assinalou que Jesus citou por três vezes “Não tenhais medo”. Afirmou que não devemos temer as adversidades da vida, “as perseguições, medos, ansiedades, decepções, contrariedades e infortúnios, porque Deus vem sempre em nosso socorro. Ele nunca nos abandona. Sempre nos protege dos perigos e nos dá forças para superarmos todas as dificuldades”, completou.
Citando o Papa João Paulo II, o homiliante disse que a frase que o pontífice sempre citava era justamente “Não tenhais medo” – disse para si mesmo assim que foi eleito papa, quando se dirigiu aos jovens na Jornada da Juventude, na abertura do Ano Santo e quando sentiu que o mundo e a Europa estavam ameaçados e angustiados pelo perigo das ideologias.
Homenagem – Antes do encerramento da missa solene, uma jovem prestou uma breve homenagem ao jubilante, que ressaltou e agradeceu, em seguida, as celebrações em cada comunidade onde serviu como presbítero – Paróquia Sagrado Coração de Jesus, bairro Riacho das Pedras (Contagem); Paróquia Santa Maria Rainha dos Apóstolos, do JK, onde é titular atualmente (missa presidida por dom Walmor de Oliveira Azevedo); Paróquia Nossa Senhora da Piedade, de Justinópolis (Ribeirão das Neves), que foi sua primeira comunidade assim que foi ordenado; e a paróquia do Bairro das Indústrias.
Convidou ainda para a próxima celebração na Matriz Nossa Senhora da Conceição, no mês seguinte, em Conselheiro Lafaiete, sua terra natal, com a presença do cardeal dom Raymundo Damasceno. Agradeceu em seguida as presenças dos concelebrantes e em especial ao pároco José Geraldo pela acolhida no Bairro das Indústrias, onde ficou por 6 anos e 20 dias. “Em todas as comunidades senti a partilha da alegria de comemorar meus 25 anos de padre nos rostos das pessoas. Deus os abençoe”, finalizou o aniversariante sacerdotal. E convocando aos demais concelebrantes encerrou a missa com a benção final.

Chico Nascimento – Jornalista e servidor público estadual

 

SEM COMENTÁRIOS