Instituto CeasaMinas

0
19
A maior parte das doações recebidas pelo Prodal são feitas por lojistas e produtores rurais que comercializam na CeasaMinas. (Fotos: Reprodução/Internet)

A atual gestão do Instituto CeasaMinas, eleita em agosto de 2016, tem buscado apoio para o Banco de Alimentos da CeasaMinas (Prodal) e para o Programa Vita Sopa, principais projetos desenvolvidos pelo Instituto. “Nossa ideia é buscar parceiros que nos ajudem a aumentar a captação desses alimentos e, consequentemente, o número de instituições atendidas”, afirma Flávio Câmpara, diretor de Ação Social do Instituto.

Hoje a nossa capacidade operacional não permite que tenhamos acesso a 100% do que existe para doação. Precisamos de caminhões, de mão de obra e de um aparato operacional que nos permita buscar estes alimentos no momento em que o lojista faz o contato conosco para essa coleta, destaca.

Ele explica que o comerciante precisa liberar espaço para colocar novos produtos e se a coleta não é feita rapidamente, os alimentos doados podem ir pro lixo.
Parcerias – Segundo Câmpara, o Instituto CeasaMinas está buscando também o apoio, inclusive do Ministério Público. “Estamos apresentando os projetos de forma transparente e levando ao conhecimento do Ministério Público tudo que realizamos aqui, e os benefícios que esse aporte financeiro pode dar para a gestão do Instituto neste momento”, afirma. A atual gestão trabalha também em busca da autonomia do instituto, tornando-o independente da administração da Ceasa.
Outra iniciativa neste sentido, vem do presidente da CeasaMinas, Gustavo Fonseca, que em reunião com Fernando Pimentel, no início deste mês de maio, buscou apoio ao Prodal Banco de Alimentos e para o Vita Sopa. A proposta está sendo estudada pelo Governador junto à Secretária de Desenvolvimento Social e ao Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), ao qual o Programa Vita Sopa esteve ligado, até outubro de 2015, quando foi transferido para a CeasaMinas.

Alimento para quem mais precisa

A maior parte das doações recebidas pelo Prodal é composta por frutas, verduras e legumes cedidas por lojistas e produtores rurais que comercializam na CeasaMinas.”São alimentos que perderam sua característica comercial, mas mantém sua qualidade nutricional. Eles são separados, higienizados, e doados para as cerca de 150 entidades cadastradas em nosso Banco de Alimentos”, afirma Câmpara.
O Banco de Alimentos já doou mais de 15 mil toneladas de produtos não comercializáveis, mas próprios ao consumo desde sua fundação em 2002. Atualmente, mais de 26 mil pessoas se beneficiam com o Prodal Banco de Alimentos todas as semanas.
Já o programa Vita Sopa tem como principal atividade a fabricação e distribuição de sopa a partir da desidratação de vegetais que já se encontram em alto estágio de maturação, ou que está fora do padrão estético para consumo.

O preparo – composto de vegetais como cenoura, batata, moranga, beterraba e mandioca – é enriquecido com a adição de macarrão e proteína de soja. Ele contribui para o complemento da alimentação de milhares de crianças e adultos em diversas instituições, como creches e asilos.

É importante destacar que, além dos benefícios sociais, a produção da sopa contribui para a redução do desperdício dos vegetais que são descartados pelos vendedores. É interessante mencionar ainda que o processo utilizado para desidratação utilizado no Programa, além de conservar os nutrientes, permite a estocagem e o transporte para regiões necessitadas, distantes da grande Belo Horizonte.

Assistência – A atual gestão do Instituto CeasaMinas, presidida por Ricardo Carnaval, tem trabalhado também no sentido de oferecer atendimento médico, odontológico, exames laboratoriais e cursos de formação profissional para os funcionários do entreposto.

É um novo estágio dentro do projeto social que vem sendo desenvolvido nesta nova gestão do Instituto, completa o diretor de Ação Social Flávio Câmpara.

Segundo ele, essa ação social atende as cerca de 18 mil pessoas que trabalham dentro da Ceasa e pode ser estendido também para as 70 mil pessoas que transitam no local diariamente. “É uma ação social que tem um raio de atuação muito grande, beneficiando esses trabalhadores internos e pessoas, principalmente do interior, que vem ao Entreposto de Contagem para fazer suas compras e permanecem aqui um dia inteiro”, completa Câmpara.

SEM COMENTÁRIOS