Juros do cartão caem

0
5

Um mês depois das mudanças nas regras do cartão de crédito, os juros do rotativo (também conhecido como pagamento mínimo), caíram pela metade chegando a 233,9% ao ano e 10,6% ao mês na terceira semana do mês.
A taxa é 49% menor do que a praticada no mesmo período de março, que era de 456,6% ao ano (ou 15,4% ao mês). Os dados são da pesquisa da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs).
A redução ocorreu após implementação da Resolução 4.549, do Banco Central, que, desde 3 de abril, passou a limitar em 30 dias o prazo de permanência no crédito rotativo.
Antes, o consumidor podia ficar indefinidamente no rotativo do cartão de crédito. Para isso, era preciso pagar apenas o mínimo a cada fatura. Esse procedimento, no entanto, levava ao superendividamento e a níveis elevados de inadimplência nessa modalidade.

Em março, no entanto, o governo mudou essas regras. O consumidor, a partir dessa nova legislação, passou a ter um limite para ficar no rotativo do cartão de crédito: somente 30 dias. Depois desse prazo, o cliente tem duas opções, ou ele paga a conta à vista ou parcela a fatura em até 24 vezes.

Controle de gastos – A notícia que a taxa de juros do rotativo do cartão de crédito continuou em queda em abril é boa, mas de nada adianta se o consumidor não souber controlar seus gastos. Para se ter ideia, quatro em cada dez (42%) não sabem ao certo o quanto gastaram em compras em março deste ano, segundo recente pesquisa da SPC Brasil e da CNDL.

Para usar o cartão de crédito com consciência é preciso estar atento às taxas cobradas, mas mais do que isso, é necessário se educar financeiramente, pois por mais que o valor total da dívida seja diminuído após o parcelamento, as parcelas mensais são muito parecidas com o valor mínimo da fatura. Isso significa que no orçamento mensal a diferença é quase nula.

Quem chegou ao ponto de não conseguir pagar as parcelas mensais precisa fazer, imediatamente, um diagnóstico financeiro para rever sua situação e combater a verdadeira causa do problema. Ao fazer compras no cartão de crédito, é preciso ter cuidado para que a soma das dívidas não ultrapasse 30% do salário ou ganho mensal, justamente para evitar o descontrole financeiro.

SEM COMENTÁRIOS