Comércio pouco otimista

0
12

Com a economia dando alguns sinais de melhora, o comércio contagense espera uma pequena melhoria nas vendas para o Dia das Mães, segunda data mais esperada pelo varejo, superada apenas pelo Natal. A expectativa da CDL-Contagem é que o volume de vendas para a data registre uma alta de 1,5% em relação ao ano anterior. Em 2016, o percentual registrou queda de 1,97%.
O presidente da Entidade, Frank Sinatra Santos Chaves, destaca que, embora a crise pese no orçamento, no Dia das Mães as pessoas sempre procuram uma forma de presentear. “Apesar da queda do poder de compra dos brasileiros, tendo em vista a escalada do desemprego, as pessoas não deixarão de comprar. Além do forte apelo emocional que o dia representa, acreditamos que os recursos dos saques do FGTS e a chegada do frio, vão contribuir para aquecer as vendas, embora a estimativa de crescimento seja baixa”, afirma.

“Sabemos que a data não vai salvar o comércio, pois as perspectivas não são boas devido ao cenário político-econômico, mas, como sempre, os lojistas contagenses farão sua parte com atendimento personalizado, promoções, campanhas, deco- ração especial, criatividade e condições facilitadas”, acrescenta. A boa notícia é que, neste ano, comércio e varejo terão a quinzena quase que completa – até 14 de maio – para explorar ao máximo suas campanhas.

Entre os artigos com maior interesse de compra estão: vestuário, calçados, acessórios, cosméticos, perfumes, jóias, bijuterias, flores, eletrodomésticos, eletroeletrônicos, bombons, cestas de café da manhã e livros. Segundo a entidade, o ticket médio de compras deve girar em torno de R$100,00.

SEM COMENTÁRIOS