Segurança social e no trabalho

0
16

Imagine buscar segurança em uma empresa com a mesma receita que é sugerida para a segurança pública: mais policiamento e prisão dos infratores.
A empresa teria que pagar também os salários dos policiais e o sustento de trabalhadores presos. Seu custo seria tão alto que não conseguiria atender seus clientes com preço de qualidade.

Por isso, nas empresas, as pessoas são educadas e treinadas para agir com segurança. Nisto inclui bom Senso de Autodisciplina, ou seja, cada um assumir suas responsabilidades. Isso é investir na prevenção.

A prevenção é um meio poderoso de garantir a segurança tanto nas empresas quanto na sociedade. Policiamento e prisão de infratores é agir no efeito. Do mesmo modo que esta receita fica cara para a empresa, também é cara para a sociedade. Durante anos, pessoas usam o serviço público, na infância e na adolescência. Quando chegam à idade produtiva são encarceradas: não agregam valor e ainda geram mais despesas públicas.
A segurança pública não deve ter como indicador principal a quantidade de policiamento e pessoas encarce- radas. O principal indicador da segurança deve ser a capacidade de seus cidadãos de conquistar qualidade de vida sem comprometer a qualidade de vida de outros.
E qualidade de vida não é cara. Passa pelo Senso de Utilização, do uso adequado de energia, de oportunidades, ficando só com o que é necessário, destinando o que não precisa para onde possa ser útil.
É uma economia mais leve, sem tanta necessidade de crescimento econômico. É a sustentatibilidade do convívio social, da economia e do ecossistema.
Wagner Matias de Andrade
www.5s.com.br

SEM COMENTÁRIOS