Inteligência e Inovação

0
10

Será inaugurado, no próximo dia 13, na sede do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCEMG), a Central Suricato de Fiscalização Integrada, Inteligência e Inovação na Avenida Raja Gabaglia nº 1315 – Luxemburgo

Belo Horizonte.

. O novo edifício de três andares vai abrigar o serviço de inteligência do controle externo mineiro.

Com área total de 3,7 mil metros quadrados, o novo centro tecnológico vai revolucionar as ações voltadas ao aprimoramento da gestão pública e à efetividade da fiscalização. O objetivo principal do polo tecnológico é promover mais agilidade e integração dos dados, reforçando a prevenção e o combate à corrupção. O prédio foi construído em local anexo ao edifício sede do TCE.

Um primeiro contato do visitante com o novo edifício será por meio do hall da interatividade. Nesse ambiente, qualquer pessoa poderá ter acesso a informações do próprio Tribunal ou dos seus jurisdicionados, como prevê a Lei nº 12.527/2011 – Lei de Acesso a Informação (LAI). As informações serão demonstradas de forma lúdica. O visitante também poderá avistar, através de uma parede de vidro, a sala de situação, local que abriga o núcleo de inteligência da instituição. Nele, está o setor estratégico e de desenvolvimento da fiscalização e, por isso, o seu acesso é restrito. A sala de situação é inédita no país em sistema de controle.

Um painel de bordo (dashboard), com telas de última geração, também possibilitará a identificação visual e, por critérios científicos, de eventuais problemas na gestão pública do Estado e dos municípios. Ocorrências fora dos padrões dispararão sinalizadores, mostrados no dashboard, e conduzirão à elaboração de determinadas propostas de ação do Tribunal para investigação e correção das irregularidades.

Foi instalada no centro tecnológico, a coleta de água da chuva para reutilização e de recursos para a economia de energia. Essa preocupação com a sustentabilidade também está relacionada à contenção de gastos expressivos para o futuro. Estudos realizados estimam que os cerca de R$ 11 milhões investidos na obra, poderão ser pagos em aproximadamente quatro anos, em consequência à economia gerada pela redução de fiscalizações improdutivas.

Na área estratégica do prédio, serão produzidas malhas de fiscalização com respostas mais rápidas na identificação de problemas e testes de referência ao trabalho de auditorias em obras públicas. Estes procedimentos serão feitos nos laboratórios de Engenharia e de Tecnologia da Informação. As instalações também incluem espaço de treinamento de servidores.

SEM COMENTÁRIOS