Lideranças repudiam golpe

0
27

O Partido dos Trabalhadores e a Central Única dos Trabalhadores (CUT) de Minas Gerais promoveram, com o apoio da Fundação Perseu Abramo e do PT-MG, nesta quinta-feira, dia 20 de outubro, o seminário “O Golpe e a Desconstrução do Estado Democrático de Direito”, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O encontro contou com a participação de diversas lideranças nacionais e estaduais, representantes de movimentos sociais e da sociedade civil. Durante o Seminário, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, que fez a abertura da atividade, destacou a operação midiática, judicial, legislativa de perseguição ao Partido dos Trabalhadores que culminou no golpe. Segundo ele, a ordem democrática no País foi rompida. Falcão também abordou a PEC 241, aprovada em primeiro turno na Câmara dos Deputados.

Em nenhum país do mundo há um plano de congelamento de 20 anos. Os pobres serão os sacrificados, afirmou.

Segundo o líder do governo na Assembleia, deputado Durval Ângelo, se aprovada em segundo turno na Câmara dos Deputados e no Senado, a PEC provocará um retrocesso nas políticas públicas.

Todas as conquistas sociais nos últimos anos, proporcionadas pelo governo Lula e Dilma, deixarão de existir. Na educação, não teremos o Prouni, as Cotas, o Fies e o Ciência sem Fronteiras, disse.

O objetivo do encontro foi discutir o golpe instituído no Brasil, suas consequências na vida do povo, na democracia e no contexto da geopolítica.

SEM COMENTÁRIOS