A segunda edição da Melanina Feira Afro de Contagem já tem data para acontecer. Será no dia 11 de junho, de 10h às 16h na Una Contagem (Avenida João César de Oliveira, 5.775, Bairro Beatriz) com entrada e estacionamento gratuitos. A primeira edição aconteceu dia 7 de maio, contou com a presença de 25 artesãos e teve como atração cultural o Grupo Batucarte, com o objetivo de fortalecer a cultura negra e valorizar o trabalho dos artesãos deste segmento.
O Melanina Feira Afro de Contagem é um projeto de extensão realizado pela Faculdade Una de Contagem, sob coordenação da professora Érika Rúbia de Souza e idealizada pela psicóloga e bacharel em Direito Gê Nogueira, com o apoio da Secretaria Municipal de Desigualdade Racial, da Miss Beleza Negra de Contagem Dáphinne Nogueira e da Blogueira Suelen Marques do blog “Cacheadas e Estilosas”, além de alguns empresários.

O Projeto vem suprir uma demanda de artesãos de Contagem do segmento afro, que agora podem contar com uma feira cuja a participação é gratuita, eliminado uma das maiores barreiras dos artesãos que chegam a pagar entre R$ 150,00 a R$ 500,00 para participar de um único dia de feira, afirma Érica de Souza.

Ainda segundo ela, o projeto representa uma parcela da sociedade que sofre em função da discriminação racial e que, muitas vezes, sente dificuldade de se integrar no mercado de trabalho em virtude de suas características físicas. Em resumo, o projeto foi desenvolvido para os artesões afroempreendedores.

JC1095-1102X

A motivação do projeto veio do desejo de ultrapassar as políticas públicas de afirmação dos negros na sociedade, apresentando uma outra alternativa, mais ativa e empreendedora. “Neste sentido, o projeto se faz importante, na medida em que estimula, apóia e fortalece iniciativas empreendedoras de grupos de artesãos afrodescendentes. Favorecendo, dessa forma, à promoção da igualdade de oportunidades e o combate às desigualdades étnicas”, complementa.
Participação estudantil – Na maioria das vezes, o afroempreendedor empreende por necessidade e não porque vislumbrou uma oportunidade de mercado, avalia a organizadora do evento. Isso acontece, diz ela, “em função das adversidades no mercado de trabalho, baseadas em discriminações, que fazem os negros buscarem o empreendedorismo como alternativa profissional e financeira. Assim, acabam empreendendo de forma desestruturada. Diante disso, este projeto vem ao encontro desta situação limitante, oferecendo para esse grupo de empreendedores as noções básicas de gestão de negócios pensando ações de forma planejada. É nesse sentido que o projeto conta com apoio de alunos dos cursos de gestão financeira, marketing, gestão comercial, recursos humanos e, publicidade e propaganda, que podem aplicar os conhecimentos adquiridos em sala, de uma forma prática, em um projeto de cunho social”.
Quem quiser mais informações sobre a feira ou sobre como participar como expositor deve buscar contato através da página da Feira Afro Melanina no Facebook: https:wwa.facebook.com/melaninafeiraafro

SEM COMENTÁRIOS