A série fotográfica #770/1941, ambientada no bairro Cidade Industrial, que se divide entre as cidades de Belo Horizonte e Contagem, é composta por registros de um processo de pesquisa por essa região de 2013 a 2014. O título faz referência ao decreto estadual que previa a inauguração desse bairro. Nas fotografias apresentam-se particularidades da arquitetura local, assim como a ausência desta em amplos espaços desocupados. Trata-se de um espaço de coexistência entre duas cidades, mas que parece ao mesmo tempo pertencer à outra realidade, pela forma que a fotografia se vale de recursos visuais que tornam o ambiente instável, limiar à ficção. Assim se articula como um documento não de um único local, mas dos processos de industrialização e desindustrialização em escala global ao longo do século XX.

cidade-industrial

Este trabalho, assim como as demais séries presentes na exposição, se baseia na potência narrativa intrínseca da película fotográfica, que em suas manchas, desfoque e granulação não só dizem respeito à incidência do ambiente sobre o suporte, mas também conduz a experiência psicológica do espaço: um anteparo sobre o qual incidem os atritos entre o ambiente e o olhar que o percorre.

Victor Galvão é natural de Belo Horizonte, graduando em Artes Visuais pela UFMG, trabalha com vídeo e fotografia num conjunto de pesquisa sobre o espaço urbano propondo uma abordagem desconstruída sobre a histografia do presente através de uma diversidade de referências no campo da linguagem, das ciências exatas e humanas.

Exposição:

de 04 a 29 de maio de 2016

Galeria do Centro Cultural de Contagem

(casa amarela)

Rua Dr. Cassiano, 130, Centro

Visitação: de segunda a sexta-feira, das 9 às 17h.

SEM COMENTÁRIOS