Sem citar números, o comandante da 2ª Região Militar, em Contagem, coronel Roberto Lemos, admite que o roubo, especialmente de celulares, tem “tumultuado um pouquinho” a vida da Polícia Militar em Contagem, sendo que “mais de 50% das ocorencias dizem respeito aos aparelhos de telefone”.
O oficial aproveita para fazer um alerta aos contagenses, especialmente aos jovens, estudantes, enfim, à todas as pessoas que andam falando ao celular, que os deixam expostos de todas as maneiras: “o celular virou moeda de troca para a criminalidade, para o tráfico principalmente, pois é fácil de vender por preço barato e satisfazer a necessidade e sustentar o vício”.

Apesar disso, o coronel Roberto Lemos garante que os índices de criminalidade, no geral, caíram este ano na cidade de Contagem e em outras localidades atendidas pelos três batalhões regidos pela 2ª RM, o 18º BPM, o 39º BPM e a 2ª Cia de Missões Especiais, como Igarapé, Itaguara e Piedade dos Gerais, esta última tendo registrado índice zero de crimes.

JC1091-0501

Temos desprendido esforços no sentido de minimizar os impactos da criminalidade em toda a região, com ações preventivas. Criamos o pelotão chamado Guardião Metropolitano Oeste, composto de 10 viaturas e dois militares em cada para atuar exclusivamente na prevenção criminal. Empregamos esse efetivo na avenida João César de Oliveira, na avenida José Faria da Rocha e nas vias que tem maior incidência criminal. Já registramos queda nas duas avenidas, na área comercial principalmente, salienta Roberto Lemos.

O coronel acrescenta que até 3 de janeiro de 2016 acontece a Operação Natalina, com reforço de 240 militares diuturnamente atuando no policiamento a pé nessas vias como forma de inibir a criminalidade e gerar sensação de segurança à população.
Nos passeios – Em Contagem, de uns tempos para cá, tem se observado a presença de viaturas em cima dos passeios e o coronel Lemos diz que

a PM é exclusivamente preventiva e a forma de realizar isso é a ostensividade. Usamos fardas para isso. As viaturas são mais um instrumento dessa ostensividade. Temos colocado elas em destaque , nos passeios ou no canteiro central, com giroflex ligado e militares desembarcados fazendo patrulhamento a pé. Isso chama atenção para que criminosos vejam que o local é policiado e que há segurança, que o cidadão de bem tenha tranquilidade para circular e fazer suas compras.

O comandante da 2ª RM finaliza dizendo que “a corporação prioriza a polícia comunitária, mais próxima do cidadão, com visitas tranqüilizadoras, nas portas dos comércios, ouvindo as pessoas, conhecendo a demanda da sociedade, o que ela precisa e quer”.

SEM COMENTÁRIOS