Oito em cada dez crianças chegam aos consultório de odontopediatra com sintomas

Os pais já sabem: inverno é igual a doenças respiratórias. O que a maioria ainda desconhece é que as gripes, congestionamentos nasais, crises alérgicas, renites, sinusites e bronquites podem ocasionar também o bruxismo infantil, que é o hábito de apertar ou ranger os dentes, especialmente durante o sono.

Pesquisas apontam que o bruxismo, antes mais associado aos adultos, tem incidência cada vez maior entre as crianças com 2 a 10 anos de idade. Estudos também comprovam que a prevalência é maior entre pacientes alérgicos (60% aproximadamente). Isso porque as doenças respiratórias diminuem a taxa de oxigenação sanguínea, aumentando a liberação na circulação das catecolaminas, grupo de importantes neurotransmissores que estimulam a atividade cerebral e a frequência cardíaca. Por causa da maior presença da substância no organismo, crianças com idade a partir de 2 anos têm apresentado o bruxismo noturno”, explica a odontopediatra e ortodontista mineira Juliana Reis.

A especialista conta que a maioria das crianças que chegam em seu consultório apresentam o bruxismo e alerta que a doença pode causar desgaste e fratura nos dentes, por isso tem que ser tratado. Mas, antes de iniciar o tratamento, é preciso descobrir a origem do problema.

Genética – Além das doenças respiratórias, o bruxismo pode ser causado por herança genética, síndrome da apnéia obstrutiva, falta de sono reparador ou estresse. Esse diagnóstico só é possível a partir de consulta e anamnese com a criança e os pais.

O estresse também é identificado como causa do bruxismo. A odontopediatra lembra que as crianças modernas têm agendas tão lotadas como às dos adultos, sofrendo com a falta de tempo e com a pressão para a pouca idade.

O tratamento varia de paciente para paciente e depende não só das causas do bruxismo como também da idade, intensidade do bruxismo, quantidade de desgaste dos dentes. Por exemplo, não é recomendado o uso de placas em crianças com dentes-de-leite. Quando os dentes estão muito desgastados, talvez seja preciso restaurá-los e aquelas crianças que já têm dentes permanentes quase sempre precisam usar placas protetoras durante o sono. Em todos os casos, o controle periódico é essencial.

SEM COMENTÁRIOS